Você está lendo sobre piadas que só tem graça pra nerds...

sobre piadas que só tem graça pra nerds...

  • sexta-feira, 15 de maio de 2009
  • Wash.
  • tava fuçando numa montanha de lixos aqui que eu guardo, revirando uns papéis velhos, e encontrei um mail antigo enviado por um amigo. era uma piada culta, bem estilo humor ingles, Monty Python, daquelas que só nerds riem, sabe?: a piada é a mais sem graça do mundo - por que o frango atravessa a estrada? - respondida por personalidades históricas, filósofos, etc... bom, vou repostar ela aqui; é o tipo de piada que merece ser sempre repostada, não ficar perdida na imensidão do caos da internet pra sempre.



    POR QUE O FRANGO CRUZOU A ESTRADA?

    ARISTÓTELES: é da natureza dos frangos cruzar a estrada.

    PLATÃO: porque procurava alcançar o bem.

    NELSON RODRIGUES: porque viu sua cunhada, uma galinha de meia idade, sedutora, do outro lado da estrada.

    MARX: o atual estagio das forças produtivas exigia uma nova classe de frangos, capazes de cruzar a estrada.

    MAQUIAVEL: o frangou cruzou a estrada. a quem importa o porquê? estabelecido o fim de cruzar a estrada, é irrelevante discutir os meios que utilizou pra isso.

    MOISES: uma voz vinda do céu bradou ao frango: "CRUZA A ESTRADA!" e o frango cruzou a estrada, e todos se regozijaram.

    HIPÓCRATES: devido a um excesso de humores em seu pâncreas.

    MARTIN LUTHER KING: eu tive um sonho. vi um mundo no qual todos os frangos serão livres para cruzar a estrada sem que sejam questionados seus motivos.

    FREUD: a preocupação com o fato de o frango ter cruzado a estrada é um sintoma de sua insegurança sexual intimamente ligado à sua mãe...

    DARWIN: ao longo de grandes períodos de tempo, os frangos tem sido selecionados naturalmente, de modo que, agora, eles tem uma predisposição genética a cruzar estradas.

    EINSTEIN: o frango cruzou a estrada ou a estrada se moveu sob o frango? ...depende do ponto de vista. Tudo é relativo!

    KANT: o frango seguiu apenas o imperativo categórico próprio dos frangos. é uma questão de razão prática.

    ORWELL: para fugir da ditadura dos porcos.

    HEMINGWAY: "to die. alone. in the rain."

    SARTRE: trata-se de mera faticidade. a existência do frango está em sua liberdade de cruzar a estrada.

    CHE: "hay que cruzar la carretera, pero sin jamás perder lá ternura."

    PINOCHET: "el se fué... pero tengo muchos penachos de el en mi mano!..."

    NIETZSCHE: ele deseja superar sua condição de frango, para tornar-se um superfrango.

    BLAISE PASCAL: quem sabe? o coração do frango tem razões que a propria razão desconhece.

    CLARICE LISPECTOR: a essencia do frango está nas suas patas. as patas têm o frango. quem vê as patas, vê o frango. a essencia das patas é correr, o correr abstrato. a estrada é a essencia de correr. quem vê o correr vê a estrada.

    MACHADO DE ASSIS: quem sabe se o frango realmente cruzou a estrada, se era a sua intensão cruza-la? quem saberá, baseado naqueles olhos de frango dissimulado...?

    SÓCRATES: tudo que sei é que nada sei.

    PARMÊNIDES: o frango não atravessou a estrada porque não podia mover-se. o movimento não existe.

    ESTÓICOS: o frango atravessou a estrada porque esse é um acontecimento necessário. é o destino: já estava previsto pela ordem universal do cosmos.

    FILOSOFOS MEDIEVAIS: para responder a tal questão, devemos primeiro deliberar se a expressão "frango" é puro termo esvaziado de sentido ou se a palavra expressa a ideia genérica e universal de frango, ou ainda se no caso se trata de um frango concreto em particular.

    FILOSOFOS DA ESCOLA DE FRANKFURT: é uma questão em que se manifesta o carater alienado da industria cultural, que tranformou a imagem do frango num mero produto para consumo em massa.

    KATHLEEN HANNA E FEMINISTAS: para humilhar a franga, num gesto exibicionista tipicamente machista, tentando além disso convence-la que, enquanto franga, jamais terá habilidade suficiente para cruzar a estrada.

    GILBERTO GIL: essa coisa de frango que atravessa algo nos remete à questão do almoço dominical que mainha me preparava na minha infância. tem algo a ver com a baianidade da menina malemolente atrás do frango. por outro lado essa coisa de estrada é de uma anterioridade que se firmou numa canção que fiz com o Caê, na casa de Pepeu, no Pelô...

    CAETANO VELOSO: o frango é amaro, é lindo, uma coisa assim amara. ele atravessou, atravessa e atravessará a estrada porque Narciso, filho de Canô, quisera come-lo... ou não!

    CARLINHOS BROWN: abluééé-skindô-skindô-ilayê-ubaba-bruitaquandôsindeayêêê.... POMBO.

    LULA (FASE PRÉ-PRESIDÊNCIA): o frango estava fugindo porque o governo deixa o povo passar fome. o que o companheiro frango fez foi exercer o direito que todo cidadão tem de ir atrás da comida!

    LULA (FASE GOVERNAMENTAL): quem disse que o frango estava fugindo? ninguem disse isso! o frango só estava fazendo a parte dele, como cidadão! não é necessario abrir nenhuma CPI pra isso!

    JO SOARES: sem querer te interromper e já te interrompendo, você não acha que um frango ao molho pardo é uma delicia que engorda?

    MALUF: não tenho nada a ver com isso, e não tenho nenhuma conta nas ilhas Cayman.

    SURFISTA: o bicho atravessou, cara... foi pá-pum, e tava lá, do outro lado... bem assim, manja? bicho maneiro, velho, aí. demais, aí...

    HEDONISTAS: é prazeroso ao frango atravessar estradas. o que voce acha, amigo?...

    FUNCIONARIO PUBLICO: não sei, porque o chefe não tá aqui agora. mas o senhor preenche estes cinco formulários, duas vias do branco e tres do rosa, paga a taxa no Banco do Brasil e daqui a dois meses passa por aqui pra pegar a resposta...

    1 coffee junkies:

    1. Marcelo Mayer disse...
    2. eu imagino o lineu da grande família explicando este acontecimento.

      15 de maio de 2009 12:19