Você está lendo sobre a "terra dos bravos"

sobre a "terra dos bravos"

  • quinta-feira, 29 de março de 2007
  • Wash.
  • fico impressionado como os americanos são burros.

    ***

    ok, depois de ver a minha primeira frase escrita e repensada, pode ser que eu esteja generalizando. afinal de contas o documentário de Michael Moore, Fahrenheit 11 de setembro, arrecadou 100 milhões de dólares nos cinemas americanos; isso significa que muitos americanos se dispuseram a ver o ponto de vista de Moore, mas ao mesmo tempo isso não significa que concordaram, já que George W. Bush foi re-eleito. "Esse cara foi re-eleito!!"... e instantaneamente volta a primeira frase em questão: o que esse povo tem na cabeça??? com tanta informação e com pessoas inteligentes mostrando a verdade, usando ferramentas midiáticas abrangentes como o cinema e a internet... o que os faz manter a opinião e releger um tipo desses?? meu deus...

    não que eu tenha algo a ver com isso; quem sou eu!!! só mais um habitante desse planeta, no mesmo barco que outros bilhões - num barquinho mais fraco, destinado aos sulamericanos, ok!; mas sou só mais um. minha presença é descartada nas decisões mundiais, obviamente. sem contar que nem é meu povo, minha terra natal, minha "tribo", assim por dizer. o problema é que temos que conviver com as decisões deles. além disso o principal governante do meu país também foi re-eleito. e convenhamos: ele não é nenhum gênio, nem visionário nem incorruptível. mas ao menos não tem a capacidade de intervir nas relações do mundo todo. o Luís Inácio tem a optativa. já o sr. Bush tem a decisão final.
    mas me irrita muito o pensamento americano de que na America do Sul inteira só tem indios; aqueles rednecks que pensam que a capital do Brasil é Buenos Aires, que aqui não tem geladeiras, que o povo anda de sarongue na rua, que os turistas são imobilizados com "boa noite cinderella" pra terem seus rins extirpados e vendidos no mercado negro! aff, como esse pensamento arcaico jesuíta me irrita!! você não faz idéia... na Europa também pensam quase isso, mas é uma coisa mais antropológicamente centrada; sabem que somos pobres e reconhecem as camadas de desigualdade social, mas sabem que não somos esclarecidos quanto a nossa situação (digo a relação rico-pobre e a força de uma revolução social). o japão também é preconceituoso, mas eles não contam: vão na onda que os EUA estiverem. "maria-vai-com-as-outras" mesmo, sem medo de se enganar. já deveriam ter aprendido depois da bomba, mas ok. um dia eles aprendem. por enquanto é cômodo pra eles...

    agora o contra-ponto: vamos evitar a generalização. existe muita gente interessada em acabar com o estereótipo paranóico e ignorante do americano. pra mostrar que não estou generalizando a "burrice americana", dá pra fazer um Top 5 de cabeças pensantes americanas que se destacam nos meios de comunicação. Top 5: mais que 5 já seria um desafio!...


    -Michael Moore se destaca pelo sarcasmo que usa na crítica da sociedade americana. armas, paranóia, multicorporações exploradoras de mão-de-obra, e principalmente George W. Bush são seus principais alvos. é um cara esperto, mas as vezes se deixa levar pelo orgulho americanista patriota; dá pra perder uns pontos, quando ele age assim. mas enfim...

    -Noam Chomski é um cara realmente que sabe do que está falando. deixa de lado um pouco da sua função principal - a linguistica - só pra descarregar um pouquinho o seu rancor pela política "new-romano-imperialista" americana. sua critica se dirige mais politicamente mesmo, fazendo planos de como o governo americano domina e destrói as relações mundiais, e consequentemente implode sua política interna dessa forma.

    -Jello Biafra é um punk que pensa. quase um quarto de século dedicados a ridicularizar a política americana, aos dogmas católicos e aos bons costumes yankees; destacando o episódio da candidatura à prefeitura de San Francisco, da qual quase saiu vencedor.

    -Lenny Bruce pode estar na lista, apesar de ter feito tudo da forma que queria. Na verdade ele usava de uma critica social corrosiva pros seus próprios fins. Ganhava até um bom dinheiro com isso - até aí Moore e Chomski também ganham MUITA grana dessa forma. Era comediante de stand-up, esses que ficam nos palcos contando piadas. As piadas, no caso, eram sobre padres, atores hollywoodianos, congressistas, política externa... foi expulso de muitos clubes nos EUA inteiro, processado, preso; suas opiniões até ganharam arquivo no FBI. morreu em 66 no banheiro de sua casa em Hollywood, overdose de morfina.

    -Matt Stone é o co-criador da série South Park: descarrego mais bruto da podridão social americana impossível. os 4 garotos do pequeno condado caipira se deparam o tempo todo com a hipocrisia, o racismo, o falso-moralismo, a cultura "inculta" e a paranóia americana. só não vê quem fecha os olhos.

    1 coffee junkies:

    1. Davi disse...
    2. legal o texto. mas o seu top 5 podia ser top 1. só o J. Biafra é suficiente. e tem gente mais legal que o michael moore. esqueceu do willian burroughs!

      fui!

      1 de abril de 2007 00:01