Você está lendo Top 5 Albuns "Fuckin' Ever", parte 1

Top 5 Albuns "Fuckin' Ever", parte 1

  • terça-feira, 10 de fevereiro de 2009
  • Wash.
  • minha vida até esse ponto foi guiada pela musica. e acredito que continuará sendo, 99% de certeza que a musica vai continuar influenciando nas minhas decisões. não que isso seja bom, mas tambem não é necessariamente ruim; já fiz escolhas erradas, já fiz merda por causa da musica, mas o que posso fazer se as coisas tem que ser assim? hmm, eu até poderia mudar o curso das coisas, mas pra que? por que a musica deveria deixar de influenciar na vida das pessoas? deixa como está, que dá pra se virar. melhor se fuder com trilha sonora do que se dar bem com uma vida insípida sem som.

    e se tivesse que escolher cinco discos que definisse a pessoa que voce é hoje em dia, se levado em questão a influencia que a musica exerce sobre a sua vida? com certeza é uma ideia cretina... apesar disso é bem divertido de fazer. acho que todo mundo deveria tentar!...

    vou usar um criterio aleatorio, pois cada um tem a sua importancia na minha gloriosa e aureada vida (pfff...), começando pelo jazz:


    (download)

    parte 1: John Coltrane & Duke Ellington: In a Sentimental Mood

    o meu forte, desde o começo, foi o rock. ele começou meio barango, pendente, com umas fitinhas cassetes no carro do meu pai... depois de um tempo se desenvolveu, ficou maduro e apurado; mas basicamente ainda era o rock, e eu não fugia pra outras arestas nem por dinheiro: meu gosto era incorruptível.

    pois bem, uma bela tarde meu amigo Kiko Dinucci chegou em casa com umas mix-tapes na mão. nerds de musica nessa época, queriamos descobrir e descobrir e ver até onde chegava nosso conhecimento. dentro de uma mãozada de fitinhas de punk, indie, post-hardcore e grind, ele tirou uma do meio. Duke Ellington & John Coltrane: In a Sentimental Mood. "mas... vc descolou uma fitinha de jazz??" eu estranhei. "é, (acho que era) o namorado da minha irmã me jogou essa na mão, ouvi e gostei. ouve ae depois..."

    deixou lá a fitinha de jazz no meio das outras. "jazz... é meio que um saco. escuto uma hora ae pra ver qual é", pensei. um dia que ia saindo pra dar uma caminhada até os condominios da frente resolvi meter a fita no walkman antes, "pra ver qual é desse jazz"...

    TUDO na caminhada mudou. o caminho, as coisas que eu passava por, as pessoas que eu cruzava pelo caminho, os muros, o chão, o céu, a grama do parque... tudo. juro com prova até de quem me conhece que eu nunca usei acido na vida, mas o som daquela porra me fez ver tudo mais colorido, mais vivo e palpável, tudo ficava mais bonito. conforme as musicas iam rodando na fita magnetica, eu sentia um troço diferente: "Big Nick" me deu a calma que eu não sabia aonde encontrar. "Stevie" me deu uma certa malicia, agilidade no andar. um par de olhos na nuca. "My Little Brown Book" me despertou compaixão sem igual, massageou um coração inquieto, me inspirou a fazer uma coisa boa. "Angelica" me abriu um sorriso no rosto sem nenhum motivo aparente: só me sentia feliz. e foi dai por diante, sentimentos apurados a cada musica que ia passando. a todo momento percebia algo no caminho que já estava lá havia tempo, mas eu nunca tinha notado.

    desde então o jazz roubou uma grande porcentagem do meu gosto musical. GRANDE parcela. e eu ouço muito o jazz; ouço, sinto, absorvo, aprendo, cada dia um pouquinho. é engraçado que eu sempre aprendo muito com o jazz: é só o instrumento vibrando, não existem vozes nem figuras de linguagem direta, mas ele me diz muitas e muitas palavras. engraçado que eu sempre tenho algo a dizer, ou algo na cabeça pra mim mesmo, quando ouço o jazz. e esse disco em especial. e a musica titulo em especial.

    hoje não foi um grande dia da minha vida, nada que me faça lembrar, nada que o valha como um dia em minha vida. mas eu liguei o player e tocou "In a Sentimental Mood" e meu dia mudou. melhorou, simplesmente melhorou. numa curva de esquina um carro passou levemente por uma possa dagua, da chuva que acabara ha pouco, e a possa tremulou levemente. lindamente! nunca havia visto antes uma possa dagua tão linda!!! pessoas calmas pela rua, um boteco servia um café preto ao caminhoneiro, uma mulher empurrava um carrinho de bebê... o mundo girava como a todo momento, mas ao som de "in a sentimental mood" ele girava mais complascente e vibrante. girava mais "redondo". é uma musica perfeita pra tomar um café, sentado numa mesa olhando a rua, ou passar a mão na cabeça de um cachorro, ou observar as pessoas na calçada sentado no banco de um onibus. ou qualquer outra coisa que voce considere cretina ou obsoleta na vida.

    2 coffee junkies:

    1. Marcelo Mayer disse...
    2. sim, eu quero um pouco de jazz!

      10 de fevereiro de 2009 12:48
    3. Marcelo Mayer disse...
    4. eu preciso de jazz! vc não tá entendendo!

      21 de fevereiro de 2009 19:35