Você está lendo sobre sonhos estranhos

sobre sonhos estranhos

  • sábado, 2 de junho de 2007
  • Wash.
  • dia chuvoso. hoje vai ser à base de chá, crackers, pipoca e tv. nada bom, mas nada mal também. whatever.

    durante 3 noites seguidas eu tive um sonho. estava num deserto - não num deserto de areia, tinha grama no chão e mais nada. um lugar plano, vasto, sem montanhas, sem árvores, sem casas, sem ninguém por perto; o detalhe curioso era apenas um caixote gigante de vidro transparente. e eu dentro. deveria ter uns 2,5m x 2,5m, algo que me deixava bem confortável dentro; digo confortável porque não me deixava espremido em nenhuma de suas extremidades, me deixava bem livre. em compensação não havia móveis ou nada que me distraísse ou me "confortasse" de fato, dentro dele. só eu e eu mesmo. outro detalhe estranho é que eu vestia só com uma camiseta de algodão, bem comum, e cueca. só isso. tirava ainda mais o meu conforto, ao saber que a transparência do vidro me mostraria, indefeso, aos olhos de quem quer que fosse que por ali passasse. mas não havia ninguém e mesmo não havendo motivo pra me preocupar, eu me preocupava. a caixa de vidro estava selada, não havia entrada nem saida, e começou a esfriar. e nevar no campo em minha volta. e sobre a caixa de vidro e aos lados. não havia como o vento gelado passar pelo vidro, mas eu sentia o frio do gelo contatando nas paredes desnudas. e não pude me encostar em nenhuma delas. pra tentar me aquecer. só pude ficar no meio, bem no centro da caixa, encolhido, tentando um contato maior entre todos os membros do corpo, quase numa posição fetal. pra tentar me aquecer.

    e de repente o frio se foi, o gelo começou a derreter e o sol sobresaiu do meio das nuvens, com raios agradáveis. as outras sensações de preocupação se foram, só os raios solares importavam e me davam prazer, me beneficiavam, naquela hora. e o sol se firmou no topo do céu, começou a ficar forte, cada vez mais forte. começou a esquentar demais, arder, queimar, sufocar. a redoma de vidro se tornou um forno, sem escape, sem porta de saída, sem uma sombra que poderia me salvar. e ninguém aparecia.

    e então eu acordo.

    ainda não sei bem o que isso significa. pode ser muita coisa, e pode ser nada. pode ser o frio da madrugada, na hora em que eu perco o cobertor, e ainda dormindo busco ele depois de meus pés, onde começa a esquentar e ficar agradável. em seguida o sol forte da manhã batendo sobre o cobertor, sufocando e me fazendo despertar suando forte.

    whatever.

    1 coffee junkies:

    1. Kaísa Isa disse...
    2. Hahahahahaha.
      Mãe Kaísa diz:

      Por apenas 1,99 interprete seu sonho.hahahaaha

      O que eu percebi é que seu sonho mostra um wash com um espaço largo,todo um percurso:grama e não areia. Mostra que o caminho é percorrível(existe este termo? rsrs...kkkkk).
      Mas ao meu ver você está aberto a opções ( caixa transparente),mas não pode tomar nenhum passo ainda.
      Vc tem que tomar este passo ,mas não está livre de todas a intempéries muito menos das críticas(transparência e tempo frio).
      Portanto ele mais mostra que por mais que você tente se proteger,vc chegou em uma fase da vida que não conseguirá se proteger publicamente dos fracassos caso tenha que mudar de direção,pois todas as portas e lados estão visíveis(a caixa era toda transparente né?Até o piso(depois me diga.ok)?
      Bom é subjetivo.Pois não sei o que se passa em sua vida.Mas com certeza é um sonho para tomada de decisões.HAhaahahahahha

      4 de junho de 2007 17:21